Insegurança leva a pessoa interpretar negativamente o que escuta / Sempre armada achando que será atacada

É comum ocorrer brigas e desentendimentos quando a pessoa se sente ameaçada durante uma conversa. Isso pode acontecer porque:

  • O outro está realmente sendo agressivo, ou invadindo o espaço dela. Nesse caso é necessário a pessoa estabelecer limites com o outro, não permitindo ele continuar com as provocações ou ofensas.
  • A pessoa se sente insegura e inferior ao outro, constantemente interpreta negativamente o que ele fala. A qualquer sinal de opinião contrária ou crítica (construtiva), a pessoa entende como desinteresse ou desprezo do outro.

Essa pessoa insegura fica armada, acreditando que será atacada. Na verdade é a própria pessoa quem se crítica e se sente inferior, e assim, ela projeta nos outros as ofensas (sentimento de inferioridade) que ela mesma se faz. Não percebe que quem começa o ataque é ela. Essa postura de interpretar negativamente o que os outros a falam costuma gerar muitos conflitos nos seus relacionamentos com amigos, namorado (a), familiares e colegas de trabalho.

Ela super valoriza e intensifica os conflitos e problemas quando o outro a diz algo. Acaba fazendo “tempestades” em situações que “não era para tanto”, reagindo aos acontecimentos de forma desproporcional.  Como a sua estrutura emocional é frágil (devido as suas inseguranças), ela fica abalada e gasta muita energia com questões que não seriam grande incômodo se a sua autoestima estivesse boa, se tivesse mais autoconfiante.

Normalmente, a pessoa com essas características é aquela que passou por algum tipo de violência (física ou verbal), abandono, negligência ou falta de estímulo para perceber sua capacidade e habilidades de enfrentar as situações e lidar com as dificuldades. Como ela sofre dessa insegurança, reage de forma impulsiva e agressiva com os outros, como uma forma de defesa. Essa postura não traz soluções, pelo contrário, torna-se grande problema. Por mais que ela sofra com sua insegurança, isso não a autoriza ser hostil com os outros.

Frequentemente se afastam de quem tem essa postura. Muitas vezes a enxergam como alguém difícil de conviver e de trabalhar.

É importante a pessoa que age (e reage) interpretando as atitudes ou comportamentos dos outros como uma ameaça refletir:

  • Será que você tem tendência a achar que os outros estão te prejudicando, querendo brigar com você, querendo te atingir?
  • O que aconteceu e o que você viveu para se sentir ameaçado e agredido?
  • Será que você é muito crítico consigo mesmo, e acaba projetando essas críticas que faz a si ao escutar os outros?

É necessário a pessoa reavaliar a forma que tem escutado o que os outros lhe dizem. Se a sua escuta está contaminada de autoestima baixa  ou sentimento de incapacidade, é comum que venha a se sentir frequentemente confrontada pelos outros. Quando a pessoa não consegue lidar as essa insegurança, é indicado acompanhamento com o psicólogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *