……

.

21 thoughts on “……

  1. Cristiane

    Por favor gostaria de pedir que você falasse aqui no blog sobre algo que é muito importante. Tenho uma amiga da qual gosto muito, trabalhamos juntas, mas a convivência está se tornando insuportável. Ela tem uma relação doentia com a família, devido a diversos fatores: é adotiva, foi abusada, teve anorexia…enfim. O problema é que ela fala da família, dos problemas da família e de suas expectativas da família o tempo inteiro. . e isso já começa a me afetar negativamente. Não tenho mais paciência, já tentei dizer isso delicadamente, e também claramente várias vezes, mas não adianta. Ela é obsessiva! como posso dar um limite nisso? me sinto sugada…abraço, amo este blog e ele muito me ajuda.

    Reply
    1. Psicologa

      Boa noite Cristiane,
      A grande questão é você refletir o por que está tão difícil dar limites à essa amiga?
      Será que você tem dificuldade em dar limites só para ela, ou para outras pessoas também?
      Será que de alguma forma surgem sentimentos confusos (por exemplo: culpa) quando você tenta dar limites à ela ou alguém?
      Claro que essa amiga precisa de ajuda, mas é importante você respeitar os seus limites Cristiane. Não vá além do que você possa suportar. Isso não será bom nem para você e nem para sua amiga.
      Seria interessante você colocar para a amiga de forma mais clara possível que ela precisa de ajuda profissional. Também expor o quanto você se preocupa com ela, entretanto não está preparada para ajudá-la, pois você está se sentindo sobrecarregada e mal com essa situação. Isso está prejudicando a relação de vocês e afastando você dela. Caso você ache válido, deixe claro que você poderá se distanciar nos momentos em que não conseguir lidar com aquilo que ela te fala. Esclareça que não será porque não se importa com ela, mas porque você estará sofrendo com isso também, e não sabe o que fazer.
      Talvez essa amiga tenha dificuldade em diminuir as queixas. Por isso é fundamental você perceber os momentos em que você sente que ela está invadindo o seu limite, e a partir daí busque respeitar o seu limite (por exemplo: indicando um psicólogo, mudando de assunto, afastando-se dela naquele momento que você não está aguentando e se sentirá “sugada”, …)
      De qualquer forma, se isso está te gerando grande desgaste emocional, talvez seja importante você pensar se também não é interessante você fazer um acompanhamento psicológico para desenvolver formas de filtrar “aquilo que é seu, daquilo que não é seu”, e também de respeitar seu espaço e estabelecer limites com os outros.
      Abraço!
      Michelli Duje

      Reply
      1. Cristiane

        Michelli! a sua análise me deu uma visão realmente bem clara da situação, dela e minha, pois, realmente,tenho dificuldades em estabelecer limites sim, principalmente nas amizades, o que acabam me levando a relações emocionalmente abusivas, com pessoas que me pedem demais, me criticam muito, não respeitam meus pontos de vista e tentam sempre me submeter. Preciso, realmente, de alguém para me ajudar a desenvolver isso, porque posso até resolver com esta amiga em questão, mas, sei que continuará acontecendo com outras pessoas. Esse filtro do qual falou, realmente…algo que preciso buscar. Muito obrigada, vc é excelente, e tenho indicado o blog, pois realmente suas postagens são excepcionais!

        Reply
  2. Angel Cristina

    Boa tarde , Eu e meu namorado estamos brigando constantemente,já não sei oque fazer, sempre falo pra nós marcamos um dia para conversamos , mas ele nunca pode ! Será que você poderia me ajudar ?

    Reply
    1. Psicologa

      Bom dia Angel,
      Veja, talvez a questão que você tenha que refletir é: entender o que realmente está gerando essas brigas. Existem mágoas ou questões mal resolvidas entre vocês? Você está querendo conversar para falar sobre essas mágoas? Talvez, ele não queira marcar o dia da conversa, porque pode acreditar que será algo muito cansativo e longo (trazendo mais brigas)… é possível (em momento oportunos) você dizer aos poucos (não precisa ser tudo de uma vez) aquilo que te incomoda. Lembre-se que quando for falar, tente não se estender (porque se ficar falando e falando, ele pode sentir como uma “tortura”). Seja objetiva e clara sobre o que quer falar. Tente dizer em poucos minutos o que deseja, e deixe ele pensar e refletir sobre isso. Muitas vezes, observo no consultório que algumas mulheres não permitem os companheiros refletirem, entenderem e se responsabilizarem por suas questões, poque elas falando (muito), perguntando, respondendo e entrando em outros assuntos enquanto o companheiro se cansa e não consegue digerir tudo aquilo que está escutando…
      Leia os posts:
      http://curitibapsicologa.wordpress.com/2013/05/20/como-acabar-com-as-brigas-no-relacionamento-amoroso/
      http://curitibapsicologa.wordpress.com/2014/01/20/o-que-acontece-com-pessoa-que-guarda-magoas-do-seu-companheiro-namorado-marido-formas-de-superar-as-magoas-entre-o-casal/
      http://curitibapsicologa.wordpress.com/2013/03/04/para-um-bom-relacionamento-sinalize-e-estimule/
      De qualquer forma Angel, é interessante, se isso continuar te fazendo mal, você buscar um acompanhamento psicológico

      Abraço!

      Psicóloga Michelli Duje

      Reply
  3. Brenda

    olá..boa tarde!!! bom saber que existe alguém que quer mostrar seus serviços e q se preocupa em ajudar…Michelli tenho um namorado e está muito difícil a convivência, pois ele tem a mania de se sentir super correto e não admite que ele erra, por se achar assim sempre tem que haver aguém para ele por a culpa, o pior é que quando não existe alguém sou a culpada, por não lembra-lo, por não ter perguntado,por ter dito,por ter feito pela metade,por ter…em fim! sempre tive vontade de fazer psicologia,mas acabei optando por pedagogia e farei especialização em psicopedagogia. Mas me ajude, por que isso acontece? A infância influencia em que? Quem sabe ele não precise de umas sessões! grande abraço!

    Reply
  4. Carina T.

    Boa noite Michelli , estava passando no seu site e resolvi escrever-lhe .
    Sou a Carina e tenho 19 anos .
    Pois bem , à 10 meses comecei a namorar com o meu atual namorado e damo-nos muito bem mesmo, exceto quando ele decide falar dos meus ex. Sinceramente acho que cometi um erro ao contar-lhe no inicio da relação tudo aquilo que ele queria saber , inclusive das relações sexuais.Pura estupidez. Pensando que a verdade e sinceridade é sempre o melhor, enganei-me. E um dos problemas é eu ter tido 4 parceiros (isso faz-lhe confusão ) e ele ter tido duas. O problema é que ele tem fases que me confronta com coisas que eu lhe contei e que me deixam bastante incomodada por, na maior parte das vezes, serem relacionadas com a minha “ex” vida sexual. Já tentei centenas de vezes explicar que o passado é passado e que ele não deve pensar naquelas coisas e etc…mas nada, parece impossível fazê-lo esquecer. Acabamos sempre chateados com estas coisas, embora dure poucas horas, penso que poderia ser evitado.
    Gostava muito que me ajuda-se, estou a começar a ficar sem paciencia para este assunto. Espero que me possa ajudar.

    Reply
  5. Sil Barros

    Gostaria que vc me ajudasse a entendera situação em que me vi sem respostas. Sou muito atenciosa e carinhosa com tds, e trabalhei com um jovem bem mais novo que eu, que no inicio viviamos muito bem, mas de repente com o passar do tempo ele começou a me tratar muito mal, como se fosse qualquer coisa, e tudo que falava ele desprezava qualquer comentário meu, tds falavam quando era minha vez ele me ignorava isso aconteceu do nada, pois sempre o tratava com muito carinho, pois sentia medo que ficasse triste comigo se o tratasse da mesma forma. Saí do local que trabalhava mais ainda nos falávamos, comprei presentes pra ele, nos encontramos um dia e foi muito bom, após este encontro me falou que não conseguiu dormir e através de uma rede nos falamos e me falou tantas coisas que me machucaram bastante passei vários dias chorando por nunca ter sido tratada assim por ninguém e até hj um pouco curada, mas quando toco no assunto ainda me emociono quando lembro, não nos falamos mais, mas sei que sempre fui gentil. Vc poderia me responder o que deve ter acontecido, pois nem eu mesma sei, até hj não consegui entender nada.
    Obrigada bjinhos vou aguardar sua resposta.

    Sil

    Reply
    1. Psicologa

      Sil,

      Talvez seja importante se perguntar o porque é tão importante você receber “aprovação” dessa pessoa? Será que você tenta “sempre” agradar e ser querida por todos? Talvez exista sentimentos de insegurança e medo de rejeição por trás dos comportamentos (atenciosa e carinhosa).
      A expectativa de sempre agradar traz muitas frustrações.

      Nem sempre é possível ter relação de “amizade” com todos, agradar Gregos e Troianos. É importante você estabelecer os limites e as barreiras para os outros não ultrapassarem.
      É interessante fazer acompanhamento com o psicólogo para você entender melhor o que está acontecendo.

      Abraço!

      Psicóloga Michelli Duje

      Reply
  6. Aline Santos

    Eu gostartia de saber o q fazer quando a pessoa com q convívio me fala algo q me magoa eu não consigo me espreça por mas q eu fico triste acabo guardando aquela magoa pra me?me da um dica ai por favor

    Reply
    1. Psicologa

      Aline,

      Será que você deixa os outros te machucarem? É difícil dizer “não” para as pessoas?

      É importante saber dar limites aos outros, isso é fundamental para relações serem saudáveis. Mas às vezes fica difícil por inseguranças e baixa autoestima, e nesse caso é importante fazer acompanhamento com o psicólogo, porque normalmente a pessoa já sabe o que fazer, mas ela não consegue porque tem questões emocionais pendentes…

      Talvez seja importante você sentar e conversar com essa pessoa, dizendo o quanto você tem se magoado com o que ela diz e a forma que ela fala. Essa conversa pode ajudar a vocês entenderem melhor um ao outro, e ajudar a vocês amadurecerem juntos.

      Abraço!

      Psicóloga Michelli Duje

      Reply
  7. Adalgisa

    Boa tarde,
    Estava pesquisando como vencer a timidez e a ansiedade, e encontrei este site.
    Sou Adalgisa, tenho 26 anos. E preciso de ajuda para solucionar esse meu problema, pois sozinha não sei se consigo.
    Na verdade o que ocorre é que não consigo me expressar com as pessoas, quando tenho que fazer uma ligação por exemplo; fico com medo de falar pelo fato de as coisas fugirem da mente e na hora não conseguir me expressar como deveria. Dar um parecer de que sou tola e sei que não sou, mais em situações em que tenho que conversar com as pessoas, as palavras não vem, e as vezes acho o assunto não tem nada a ver comigo. E por muitas das vezes deixo de fazer amizades, até mesmo em meio aos familiares tenho receio em fazer brincadeiras ou falar muito que já acho que estou falando bobeira embora pra mim não seja. Eu quero conversar, brincar com as pessoas mais não consigo.
    Em se tratar da ansiedade, não sei ser paciente nem comigo mesma. Quero que as coisas fluam e se não acontecem logo fico num estado doloroso dentro de mim, meu coração acelera minha respiração fica difícil, isso quando não começo a chorar achando que não deu certo.
    O que posso fazer para melhor essas situações?
    Há um exercício que pode me ajudar, ou é preciso procurar ajuda profissional, pois só os exercícios não serão suficientes?
    E caso tenha que procurar ajuda, preciso de saber se sai muito caro, por eu não ter condições no momento.
    Se puder me ajudar, que Deus te abençoe, e se não puder que Deus abençoe mesmo assim.
    Obrigada e aguando a sua ajuda.
    Abraços.

    Reply
  8. Michelle Assis

    Olá ,
    Bom Michelli , eu gostaria de pedir a sua ajuda . Bom , eu estava lendo alguns dos seus artigos , inclusive para o site da revista Capricho , e eu e dei conta que eu precisava falar com alguém sobre isso , bom é o seguinte , meu pai morreu antes de eu nascer e minha mãe morreu quando eu tinha quatro anos , desde então eu vim morar com minha tia materna , recebo muito amor de todos , antes eu fazia acompanhamento com psicologo , mas depois parei . Eu sinto que tenho que desabafar com alguém sobre certos assuntos , como meu relacionamento com as pessoas por exemplo , mas nao tenho coragem de falar com as pessoas como certos tipos de assunto . Igual , ja faz quatro anos que eu sou afim do mesmo garoto , e assim não é um gostar de ‘gostar’ , nao sei se é pelo fato de eu estar conhecendo um ‘territorio’ novo , que é a adolecencia , mas eu estou em uma fase em que meus sentimentos estao muito aflorados , igual eu nao consigo olhar para mas nenhum garoto como eu olho pra esse . Ele e uma amiga minha namoravam ate o ano passado , namoraram assim , entre idas e vindas . Ela traiu ele e ele pagou com a mesma moeda . Eu pensava em falar com ele e tudo , ate o dia em que eu falei , contei tudo pra ele quando ele ainda estava com ela , não sei aonde tava com a cabeça , mas decidi contar porque enfim , eu sentia que ele ja sabia . Não esperava que ele fosse ficar comigo , ate porque acho que ele não faria isso , mas ao mesmo tempo eu olho nos olhos dele e sinto uma coisa mutua , varias pessoas tambem falam isso pra mim , e eu nao sei o que fazer , pois parei de acreditar nas considencias , ja tentei esquecer ele , mas diariamete vejo ele , é na escola , no ingles , na rua -ele mora na rua abaixo da minha- .. quando eu falei com ele , ele disse que nao poderia me responder porque afinal estava namorando . Acho que ja deu pra perceber que estou confusa e que nao sei o que fazer com relaçao a isso . E ele ainda me confunde mas , pois nos varias vezes ja fletarmos e tudo . So que comecei a iguinorá-lo e agora ele esta fazendo isso comigo tambem , estou mal porque afinal , eu que comecei com isso . E agora não sei se devo conversar com ele … me ajude por favor .

    Desde já agradeço ,

    Reply
    1. Psicologa

      Boa noite Michelle,

      Existem duas coisas que você falou nesse texto:

      A perda dos seus pais> isso deve ter sido muito difícil para você, e talvez ainda seja muito complicado…. talvez por esse motivo seja interessante voltar a fazer acompanhamento com o psicólogo (com um profissional que você goste e sinta que ele está realmente te ajudando)

      O outro ponto é em relação ao garoto que você gosta… parece que a situação está complicada desde o começo… de alguma forma, você está investindo nessa relação, porque você fica pensando em cada comportamento dele, em sinais de digam que ele está afim ou não está afim de você… avalie se está sendo saudável para você investir os seus pensamentos nele… por que será que você está insistindo em alguém que não demonstra estar tão interessado em você? Investindo em alguém que está te fazendo sofrer, por que? Você já deu todos os sinais para ele, disse em todas as palavras que gosta dele, se ele não está correspondendo, talvez signifique que ele não queira ficar com você…

      Talvez tenha alguma questão de autoestima aí…. ou talvez outras questões emocionais importantes… por isso é fundamental tentar fazer uma terapia com o psicólogo…

      Abraço!

      Psicóloga Michelli Duje

      Reply
  9. ana

    Boa tarde me chamo Ana tenho 34 anos e adorei alguns comentários, já que alguns tem muito haver comigo. me separei a quatro anos e desde essa separação não consegui me relacionar com mais ninguem, me sinto só, meu ultimo relacionamento foi eu que terminei, pois não gostava mais dele. Os meus relacionamentos sempre foram assim quando não era eles que terminavam era eu por descobrir que me enganava em relação aos meus sentimentos, ou seja quando eu achava que estava gostando acabava descobrindo que era um engano. Estou com minha auto estima bastante baixa,as vezes me pergunto será que sou feia por isso acontece isso, Me ajude DOUTORA o que faço pra subir minha auto estima, e fiquei mais triste ao descobrir que minhas vizinhas estavam comentando que eu não arrumo namorado, sem contar nos outros vizinhos que devem achar o mesmo fico até com vergonha de sair de casa estou pensando em ir embora da cidade em que moro mais tenho medo de continuar acontecendo a mesma coisa pra onde quer que eu vá, aqui comentam também que eu viajo muito, mais mesmo assim não arrumo namorado. O que faço?

    Reply
    1. Psicologa

      Boa noite Ana,

      Existem dois pontos importantes pelo que você escreveu:

      Primeiro: Será que o principal motivo de você estar nesse conflito é porque você se preocupa muito com o que os outros pensam (ou com aquilo que você supõe que eles pensam)? Não é interessante basear as suas escolhas sobre as expectativas dos outros. Caso você queira sempre agradar os outros, e isso te gera insegurança, é preciso de acompanhamento com psicólogo, para entender o que há por trás dessas questões…

      Segundo: Se você quem terminou com os namorados, por que o arrependimento? será que você terminou porque escolheu pessoas que não “combinavam” com você (mas entre estar só ou com alguém que você não gostava, você tentou ficar com alguém que não gostava para não ficar solteira)? ou então porque você tem muitas expectativas sobre os outros, então ninguém é bom o suficiente? Ou talvez existam outras questões emocionais que te dificultem ter um relacionamento amoroso saudável, e para isso também é fundamental o acompanhamento com o psicólogo….

      E o principal, você não precisa ter alguém para sentir feliz ou completa… Nenhum namorado poderá fazer isso por você… a relação será muito pesada e complicada caso você deposite sua felicidade nas mãos dos outros

      Abraço!

      Psicóloga Michelli Duje

      Reply
  10. Ana Maria E Anjos

    Gostei muito desse blog, não sei se poderia me orientar, sei que preciso de uma ajuda pois creio que já perdi muitas oportunidades em minha vida por ficar presa ao passado, por medo de enfrentar o futuro, gostaria que nada tivesse mudado na minha vida queria que tudo permanecesse como era na minha adolescência que mesmo com muitas dificuldades familiares eu era feliz pois não carregava todo o peso da responsabilidade de hoje e por causa disso não me permito ser feliz hoje. A verdade é que tenho necessidade de proteção e carinho coisas que não sinto hoje. Sinto cansaço e desânimo e não tenho mais motivação para lutar. Parece que não fiz nada por mim.

    Reply
    1. Psicologa

      Ana,

      Parece que você já sabe sobre algumas coisas que estão acontecendo contigo há algum tempo, então não deixe as coisas ficarem mais difíceis… busque ajuda profissional. Faça uma acompanhamento com um psicólogo para ele te ajudar e você encontrar ferramentas para enfrentar tudo isso. O acompanhamento exige tempo de tratamento, pelo menos umas 18 sessões…

      Abraço!

      Psicóloga Michelli Duje

      Reply
  11. SANTOS ANTONIO RÉUS

    Bom dia encontrei este site e breve vou morar em Curitiba. Moro com minha mãe. Ela é viúva teve AVC e ate hoje eu cuidei dela. Só que agora quero fazer a minha vida pois vou noivar e casar e minha família não concorda com isso. Estou muito triste e abalado já que somos em 3 irmãos e tudo o que eu fiz parece que não valeu nada, já que ninguém quer ficar com ela. Estou desanimado e sem saída, POIS ESTOU SENDO ODIADO POR TAL DECISÃO.

    Reply
    1. Psicologa

      Bom dia Santos,

      É importante todos assumirem as suas responsabilidades, fazendo a sua parte. Nesse momento ocorreram mudanças, em que todos precisarão se adaptar. Existem diversas formas em que todos podem se organizar para os cuidados da mãe (isso inclui financeiramente, em que pode ser contratado uma pessoa para a mãe, auxiliando nos seus cuidados.
      Em todas as mudanças ocorrem crises para uma nova estruturação se instalar… mas é importante tomar cuidado para não ocorrer acusações, principalmente de você com você mesmo…
      Perceba: será que você também está se punindo e se recriminando “por tal decisão”?

      Atenciosamente,
      Psicóloga Michelli Duje

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *